Rebel: Imagens, palavras...a essência... a natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

terça-feira, 19 de junho de 2018

Decency


...
Também
em
tempos 
sombrios,
a decência
é sempre
a melhor escolha.
Ainda
é sagrado, 
bom ser 
decente.
até no Brasil com tanto roubo.
Minha
Inspiração para 
Viver o dia de hoje...
Sabendo que decência 
é uma coisa tão 
rara no mundo.


Leather Jacket.

....
Nunca 
deveríamos
perder
minutos 
preciosos
da vida
pensando 
em pessoas 
que a gente 
não gosta...
Tudo na vida é
importante e cada momento 
tão precioso.
Meu blusão de couro,
não está ai..
nem o jeans
só o óculos 
ray-ban,
é o mesmo dos 
tempos 
de Pelotas.
Eu mudei 
mas continuo 
o mesmo, 
cara legal.
...
Sou
este
cara,
Médico 
que 
chega 
aos 60.
Assim é a vida, 
nunca 
teremos 
reconhecimento,
algum fora 
do dinheiro 
que temos 
ou 
podemos 
ter.
Dinheiro 
é importante 
dentro da logica 
e anseios 
capitalistas na 
vida ordinária...
mas nada 
é 
tão importante 
quanto 
o afeto e
a espiritualidade...
...
O passado,
vem ás vezes 
à mente,
mas
não
é tudo,
que penso...
mas o passado
é algo que
sinto ás vezes,
agitando
a mente
assim
sinto,
escrevendo
tudo isso,
sinto
que
faltou algo,
no tempo 
que passou,
eis.
nossa imperfeição.
Se há algo que
nos faz humanos
é
a dita
imperfeição .
Como 
um sonho,
presente 
ou
um velho sonho
ou sonho
antigo, 
vejo todas
coisas
que não fiz 
e
outras
que já fiz.
que se tornaram
velhas.
Mas a história
continua..
Um dia após 
o outro, 
ando
cercado 
de passados
e
realidades
tão
próximas.
Meu computador...
ao som de 
Belchior,
Tudo outra vez..
Fecho 
os olhos
lembro
o tempo
que se foi.
tudo
é meio perda
de tempo.
Voltar
ao passado,
é ser 
saudosista,
mas...
Sentir,
criar,
pensar, 
em
algo
que poderia
ter sido diferente,
Anos perdidos.
A poesia..
A canção..
fazem parte 
do momento.
A alma tem a
ver como
uma canção.
O tempo se impõe,
na distância de tudo.
O amor que se foi
meus avós,
minha infância
num lugar que vivi.
Talvez
só por pensar,

há algum tipo
de afeto..
isso,
seja por assim dizendo,
algo melhor,
longe...
Num mundo,
quando pessoas
são excessivamente,
presas ao cotidiano
e por isso,
só sobrevivam
coisas
do dia a dia...
o novo logo 
vence o velho
e o novo
fica velho
e logo
descartado,
são tudo
emoções fluídas.
Em meio a isso,
tenho o cuidado
de não tornar-me
um refém
das
vivências
passadas...
e nem um
ressentido.
Muita coisa na
vida da gente
é vaidade,
mas não é tudo,
digo,
"nem tudo é vaidade".
Neste instante,
experimentei,
a sensação
de voltar
na
Vila Bressan,
em que vivi ali, não
vendo lugares cheios 
de
árvores,  apenas
o rio. 
o trem
como quem
diz pra si 
em sua mente,
aqui foram 
dias felizes
da minha vida.
Lugares que
me remetem 
a momentos
passados 
há 50 anos
atrás,
uma rápida emoção,
vem aos olhos, 
no passado feliz
que não
existe mais,
Essa catarse de
relembrar,
belos momentos,
instantes
lindos da minha vida,  
não afeta 
muito
o
presente, 
apenas
sou
daqueles
que
valorizam
antepassados.
Há poucos dias,
uma amiga 
disse-me
que considera
uma mentira
a ideia de que
sempre amamos
nossos pais 
e familiares.
Concordo com ela.
Acho que talvez
possamos mesmo,
não sofrer tanto,
imaginar
a vida assim,
ao imaginar
que nem
sempre
nossos
pais e irmãos 
são 
escolhas afetivas
nossas,
significa dizer
que nem
sempre 
amamos eles,
que
me parece uma
dessas idealizações
que alimenta o mito
de que a família é  algo
que nos é imposta,
de quem
a gente ama e
será sempre fiel.
Nem sempre há
solidariedade 
e amor
ou algo assim,
que
se retroalimenta 
em seus membros.
Ao contrário,
acho que,
às vezes,
pode ser mortal
para seus
membros
porque
mesmo o amor,
às vezes,
não é presente
e há ódio e rancor 
em cada coração
que
aniquila.
Admitir isso
não rola,
fim.
Tenho alguns amigos,
mas não muitos,
é claro que 
pensam assim..
A generosidade nem
sempre é 
algo presente
na família.
Sou um
cara meio
chato
e
de prazeres
solitários,
por isso,
me esforço
em relembrar,
mas
confesso que 
admirei
muito meu
avôs Silvio
e
Catarina Dalmolin.
Pensar
que eram
além 
dos outros,
na amizade
sincera ou
sua generosidade é
quase tê-los  
sempre presente
ao meu redor.
Tudo de bom
que
aconteceu
louvo mas quando
as coisas vão mal
me faz supor que,
afinal,
há dela
alguém que
carregamos
na palma da mão
com a ingratidão do mundo...
Na minha
consciência
é que temos sim,
um
lento
caminhar
pelo mundo,
mas é sempre
muito solitário.
Quantas vezes
tivemos
momentos
atormentados
pelo sentimento
de insignificância,
ingratidão 
e indiferença.
Quantas vezes
atitudes nossas
pereceram sozinhas,
diante da 
incompreensão,
da espera 
de um afago,
de uma resposta,
que não veio e não virá.
Quanto
afeto e gratidão
se
perdeu 
nestes anos..
Eu sei que
por ser tudo se 
parecer
tão volúvel
e insensível.
mas 
coisas assim
acontecem.
A
vida
com afeto ou amor...
são  essenciais
não tê-los é  nada.
Amor é algo 
desejável,
mas acontece
que muitos lares, 
o amo não 
está presente
entre 
seus familiares 
ou
em parte deles.. 
A vida sem afeto, 
fica
insuportável..
e
foi isso em par te,
que vivi,
que vi,
que senti, em 
muitos
momentos, 
que já
rememorei tudo 
e
comigo entendo
o que a gente
não deve estar
sempre procurando, 
os
anos dourados, 
mas
a gente vive 
sempre
os anos 
dourados
por
estar vivo
e com saúde.
Até parece que 
foi ontem,mas assim,
nem tudo está  

perdido.
Tudo outra vez..

Waste, Somebody Lies

...
Tudo é melhor
sem mentiras 
ou 
enganos...
Mentiras, 
nem 
sendo sinceras..
Muitas
Pessoas 
nas 
quais 
depositamos
nossos
afetos, 
não
valem a pena,
não
possuem
a simetria
desejada,
então
é
tão inútil
estas pessoas
que
na maioria 
são inúteis.
É exatamente,
desperdício, 
na
inutilidade 
destes afetos,
Muitas
pessoas,
em seus tempos,
em
seus
momentos 
preciosos 
na vida, 
são 
tragadas
nesta marcha 
em direção 
a
inutilidade

desperdício.
O desperdicio
é deixar
que
momentos 
até os 
mais
preciosos
de suas vidas
sejam levados,
assim.
Se é perda 
de tempo
é precioso,
humana,
importa 
criar
antidotos
a esta
perda 
de tempo,
no tempo,
algo
tão valioso.
E o tempo não para.
Mas
este 
cara
sou Eu, 
que 
nos anos da faculdade 
de Medicina,
na minha
juventude,
pensava
que não existia
gente assim,
pessoas inúteis.
Muitos
quero 
esquecer 
de uma vez,
que
não 
tenha saudade,
Vivo uma 
viagem 
que
não acabou.
Deus 
abençoai 
a todos...
a maioria
não sabem 
o que fizeram
ou
talvez fizeram
algo
e
por maldade 
mesmo 
esqueceram,
ou
que nem imaginam
o mal que faziam.
Medíocres, 
desgraçados.
A mim 
é
seguir
e
seguir 
Até parece, 
que foi ontem..
mas ainda
achava a amizade
algo para sempre.
Que existia 
amizade
consolidada,
quando se admite,
que alguém 
na sua vida 
é seu amigo
para sempre.
Gente assim 
cínica e hipócrita,
o mundo 
está cheio...
descobri cedo 
e bem 
longe de casa,
longe de 
gente autêntica
da minha rua.
E ainda assim, 
tão 
longe lembro.
Mas este tempo.
aumentou
meu poder de 
percepção,
nada pode ser 
um eterno,
e do
faz de conta.
Meu blusão de couro,
está ai..
no quarto,
o jeans
e óculos ray-ban,
é o mesmo dos 
tempos de Pelotas.
Eu mudei 
mas continuo 
o mesmo, 
cara legal.
...
Sou
um
cara,
Médico 
que chega 
aos 60.
Não sou 
Médico de
Land Rover de 300 mil,
sempre ao meu lado está 
um Fiat,
carro modesto.
Assim é a vida, nunca 
teremos 
reconhecimento,
algum fora 
do dinheiro 
que temos 
ou podemos ter.
Dinheiro 
é importante 
aos anseios 
capitalista na 
vida ordinária...
mas nada 
é 
tão importante 
quanto o afeto e
a espiritualidade.
O meu mundo
não
é o mesmo
que o 
da maioria.
Quero mais,
sou um obstinado 
constante.
Então se meu 
mundo não é
o dos outros
talvez não seja
compreendido,
sei lá se 
é por isso...
Não sou um
ser pessimista...
Ainda
me exalta,
a beleza 
que 
deixa a alma 
intensa.
Na alma
que se sente, 
sou eu
bem lá onde 
está minha paz.
O sol da manhã 
está quente a rodovia 
ladeadas
por pinheiros, 
chego de Iomerê
das palmeiras 
centrais 
pela cidade
há 
carros pequenos, 
picapes...
caminhões ...
Viajando e pensando 
este movimento da estrada, 
das ruas  só
tinha um sentido
pra mim neste dia...
O sentido mais aguçado
para um estímulo 
a entender que tudo isso,
a existência humana
ou melhor 
a miséria 
concreta 
que 
é a vida humana..
efêmera, 
temporal
que nos 
assustamos com 
toda frenesi
algo que 
soa como
"ênfase excessiva" 
a vida material.
Escrever 
sobre isso é um desafio.
e as  viagens para mim
tem este sentido,
uma catarse
por me  
achar possuir
uma razoável 
inteligência,
nunca me faltará 
motivos de refletir
para não dizer 
certas asneiras, 
bem estou
tentando não dizer.
Vendo o movimento na estrada e cidade, reflito sobre 
o progresso,
endeusado consumismo, 
na nossa civilização, 
que causa mal estar.
Mas aonde se vai?
Quem somos.. 
Realmente, não sei.
mas vou tentar....
me direcionar..
Mas todo progresso
tem quem enxerga o
seu lado cético..
Faço parte destes
que acreditam,
não é apenas o
progresso
material que importa, 
onde
não sobrevive 
o essencial, 
o afeto que 
humaniza
é bom sempre para
existência humana.
Qual o sentido de tudo
que há por ai..
se o
o progresso tecnologico
está acabando 
com afetos e a natureza.
Não podemos avaliar..
para onde tudo 
isso nos levará.
Um computador 
nunca ajudará
a dizer algo assim..
De onde viemos
e para aonde vamos. 
Que motivos faz
sofrermos.
Se existimos 
por um tempo 
e tudo acaba,
é finitude o
lado ou
um sentido mais 
obscuro 
de nossas vidas, 
onde
não temos nada
em nossa mão...
Sou dos que
se vêem 
desamparados diante
da aflição de não ter o
menor controle
do próprio destino.
Temos como 
humanos,
como tudo que 
é humano,
o fracasso total 
em todos estes
anos em relação
à posse do mundo 
e nada de posse
do 
nosso destino.
O destino..
Esta é uma eterna 
sombra
que paira  sobre
a cabeça de todo 
ser humano...
mesmo como eu, 
andando
numa
estrada e pensando 
sobre a vida 
Quais seriam então
esta sombras...
Todos vivemos 
em busca
de uma vida melhor,
felicidade, o prazer 
Esta preocupação
em nossas a vidas
não é atípica em 
nossa época,
que há um certo 
hedonismo 
maior hoje justamente
pelo
de progresso material,..
marcado pela impaciência
e o vazio da vida tecnológica.
Fingimos que sabemos
o sentido de nossas vidas,
vendo-o como sendo tudo 
como "avanço" ou
o "progresso" técnico,
ético e social.
Para cada um de nós 
há certos
vazios nas relações..
muita coisa que temos 
se
dissolvem no ar...
no tempo...
são inúteis. 
Os afetos 
nos humanizam,
na ausência
somos um nada,
no tempo.
Tudo é efêmero,
nada é eterno, no
verde ou vivo mundo,
onde
somos avisados,
o tempo todo,
“todas as formas 
se mudam, 
decaem
e perecem ou 
se transformam,
são efêmeras 
e caducam.”  
Resalto
meu arrependimento
aos afetos 
sem simetria.
Nunca valem a pena.

inutilidade dos afetos,
levaram muitos dos
meus
momentos preciosos 
da vida.
ai está o desperdício
os momentos
perdidos e
preciosos.
POR QUE 
AVALIAMOS
COMO INÚTEIS..
O
TEMPO PERDIDO
DE NOSSAS VIDAS,
E  a infelicidade humana,
que diz isso.
Durante anos
somos 
abatidos,
por tanta coisa 
miúda e inútil
que nos apegamos 
os
vazios existenciais
que trazem  respostas.
A alma humana tem isso,
nunca  
pensaria bobagens,
nem mentiras sinceras
para escrever aqui,
tenho esta convicção..
Nada seria diferente
"se não...
fizermos isso 
ou aquilo e
nosso mundo 
seria melhor".
certo..
mas quais.
A inveja..
A ambição..
O poder...
É no confronto 
destes há
todas as 
contradições internas
de todos nós 
que de 
tempos em tempos. 
podemos 
perceber
somos parte
de uma humanidade 
cheia
de misérias..
de inutilidades..
Imagine como 
seria hoje,
um homem
honesto,
reto e justo.
Talvez
"insuportável"
já que a maioria
acha que uma vida
desprovida de luxos, 
bens de consumo etc,
é insuportável, 
e que sem eles, 
não há
possibilidade 
de felicidade
na vida cotidiana.
A  vida absolutamente 
ética, sem mentiras,
sem se fazer achar,
não cabe ou não
tem o menor 
sentido na 
sociedade atual.
Viver sem sem luxos,
sem desperdício, 
sem abusos não tem razão.
na lógica atual.
Muitos acham que este
homem do bem
que desfruta 
de tudo isso
é extraordinário,
mas
dificilmente 
sobreviveria,
sofreria
asfixia,
por ser caricato
numa vida 
corretíssima...
No mundo 
de hoje
nada tem
um sentido claro,
das
dúvidas infindas,
intermináveis...
Tudo em 
palavras
soam  como algo 
para alguns
como antiquado 
e artificial.
Estragamos tudo 
um pouco mais..
todos dias isso,
na natureza,
tenho
plena consciência
e impedir todo tipo 
de devastação,
será ai algo desejável,
mas improvável,
que reflete meu
próprio
ponto de vista,
e que
não há por dizer
algo diferente..
A que se deve
tudo isso.
"vou escrever"
"já escrevi"..
sobre isso
e assim
vejo 
o mundo,
um desperdício
onde 
todos mentem.