Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Ah que belo é viver no interior

INNER SILENCE
Ah que belo é viver no interior....
Tenho a SORTE de morar 
em um pedaço de cidade
parece interior 

de árvores enormes,
da a vista da janela da sala.
Vizinhos, já tentaram 

remover 
as duas árvores,
alegando risco de queda 
durante tempestades,
Mas até a emoção tem 

suas razões:
aquelas árvores,
tão fundamentais para 

meu bem-estar,
são o que me restam de 
uma sugestão de campo ..
e da paz que sinto no campo.



Viver na cidade 
tem suas vantagens: 
mais riquezas
e condições de educação, 
melhor saneamento
e serviços de saúde em geral.
Mas isso tem seu preço, 
e não só no bolso.
A vida urbana se desenrola
em um ambiente social exigente
e estressante, que inclui 
disparidades sociais 
acentuadas e maiores riscos.
E é acompanhada de 
uma taxa de 20% a 40% 
maior de distúrbios de humor
e de ansiedade do que em 
moradores de áreas rurais.
Faz todo sentido: o estresse crônico,
afinal, é um dos grandes 
fatores de risco desses distúrbios.
Mas sabemos que o ambiente urbano
está associado a modificações no cérebro.
Na revista "Nature" comprova 
que moradores de áreas rurais
ou cidades grandes, alguns criados nessas,
outros não,
tiveram seus cérebros vasculhados
pelos pesquisadores atrás de diferenças 
entre uns e outros.
E lá estão elas.
Em centros urbanos há uma 
atividade mais exacerbada da amígdala
durante o estresse,
o que deve levar a uma reação 
mais forte a ele.
Quem foi criado em cidades 
grandes tem um aumento da atividade
do córtex cingulado anterior,
uma região envolvida na regulação 
da atividade da amígdala,
de emoções negativas e do estresse.
Quanto maior o tempo passado em cidades grandes
até a fase da adolescência,
maior a hiper-reatividade do cingulado anterior.
É como se crescer em cidades grandes,
não importa para onde se vá depois,
fizesse o cérebro aprender a esperar
pelo pior em situações de estresse.
E só isso: sem estresse, 
o cérebro urbano não
parece diferente do cérebro rural.
Para quem insiste em viver 
em cidades grandes,
portanto, fica a dica:
se seu cérebro é hiper-reativo 
fuja do estresse...
ou vá ao verde..

Na cidade grande
Aprendemos
*nosso cerebro*, 
a esperar o pior..
no interior 
aprendemos 
a esperar  
o melhor.