Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Ver a sua Cor, dá mais Sabor.

Cada um com o seu... cada qual com o seu...
Quem é bom de copo sabe,
toda bebida pede
um formato específico...
mas vale separar o bom senso, 
da pura frescura
Cabernet Blanc em copo de plástico...
Quem vai servir um
Vinho do Porto em um copo de vinho tinto. 
Escândalo!
Frescura? 
Nem tanto.
Você não tomaria uma 
Veuve Clicquot 
em copo de plástico.
Cada bebida tem seu copo certo, 
com uma forma determinada 
historicamente, 

mesclando tradição e praticidade.
Claro, também há uma dose de frescura e esnobismo na busca do copo ideal.
Por exemplo, o nome "cristal" soa bem mais imponente do que "vidro". 
E, de fato, os copos de cristal são de melhor qualidade. Mas também são de vidro. 
Cristal é só o nome chique dado 
a um vidro que usou mais óxido de chumbo na fabricação, 
resultando em um produto de melhor transparência.
E transparência é fundamental. 
Parte do prazer da bebida é ver a sua cor. 
Isso vale tanto para vinhos 
e suas várias gradações cromáticas, 
que servem também para sua avaliação,
pelos 
especialistas, como para coquetéis..
O copo básico para coquetéis 
é o alto, cilíndrico e com base grossa. 
Ele é usado para coquetéis simples que envolvem grandes quantidades de líquido e de gelo, 
como gim tônica, "screw driver" 
(vodca e suco de laranja) 
ou 

"cuba libre".
Os copos de vinho tinto básico são de origem francesa. 
O copo de borgonha (uvas como Pinot Noir) 
é mais bojudo, o de bordô (Cabernet, Merlot) é mais alto. 
A boca sempre tem diâmetro menor para facilitar o acúmulo de aromas.
Baseados em sutilezas organolépticas como essas os fabricantes mais famosos, 
fabricantes, têm copos para variedades de uvas de vinhos,
para Cabernet Franc e Cabernet Sauvignon, por exemplo.
O bom senso indica que basta ter um bom copo para tinto 
e outro, menor, para branco.
Já o copo para champanhe e espumantes tem que ser 
o "flûte". Alto e com boca estreita, permite um melhor desenvolvimento das bolhas de gás, 
ao contrário das taças largas.
O copo de vinho é o que mais exige transparência.
Mas convém não ser muito xiita. 
Uma haste colorida não chega a afetar tanto a visualização.
A variedade dos copos deve obedecer 
a uma regra básica: o que se bebe e com qual frequência? 
Quem nunca bebe "brandies" (conhaques) 
não precisa daquele bonito 
copo bojudo com haste pequena.
Apesar de estar entre as bebidas mais caras, o uísque pede apenas um copo baixo com base pesada.
Tim Tim..
Saber para seduzir nossa mente 
e nosso olfato,
tato...
Sentir o gosto da cores.
Ver a sua cor, dá mais sabor.

Água é melhor num bom copo.