Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

segunda-feira, 2 de maio de 2016

The Last Light of the Sun



Últimos raios do sol 
minguavam,
esperava 
a luz 
do sol 
se ir,
para me 
despedir 
do sol...
do 
morro 
do pajé.
Bateu-me uma ideia,
um sonho,
uma visão
uma luz 
no 
pensamento..
ficar 
mais um pouco,
deveria ficar 
mais tempo ali.
Antes observara,
o caule da alcachofra 
se dobrava,
a flor pendia..
A agitação do vento da montanha a movia..
Vagueava 
pela trilha na grama, 
deixada 
pelos 
discretos frequentadores, 
vir aqui desfrutar
de
horas solitárias,
é saudável.
Mas se 
alguém sonha aqui,
sou eu,
olhando distante
a cidade desponta pouco,
mas 
começa a ficar iluminada...


Sou caminhante 
na montanha
É uma comunicação, 
com esta natureza verde...
bela sensação de ser experimentada...
O calor que se vai,
quando o sol se põe,
o vento aumenta
a montanha hospeda 
um humilde ser,  
soa pelo vento
um leve ruído,
que leva meu boné longe...
Os meus ombros aqui...
são mais leves..
uma paz inigualável,
no pé da montanha,
o vento rugindo, 
mas há calma,
deixo longe 
as inquietações,
Todo peso some,
diante 
de paisagem fascinante
Mas esses detalhes
se somam,
a montanha
tem os brilhos 
e perfumadas flores,
iluminadas por ultima 
luz que resta,
discreta depois do maravilhoso 
e dourado no fim da tarde.
Me faz pensar que esta é talvez
a única cena,
que não mudou em nada,
desde que estive aqui pela 
primeira vez,
há mais de 40 anos.
Um diálogo silencioso e exuberante
com o verde e a montanha.
Andar sozinho por aqui, na grama verde,
na subida e nos desníveis
é um bom exercício, 
Acho que ando sentindo 
falta de ficar, 
de pois de um dia agitado, 
num lugar sozinho gosto de descobrir coisas 
e me excitar com elas.
O silêncio tão peculiar desse local
a gente que vive constantemente 
rodeado de que ruídos da cidade 
é impossível,
não há por que evitá-los...
além do dia a dia.
O silêncio interno
Guia
abre possibilidades
os sons que nem minha imaginação,
mais alucinada
seria capaz de criar.
Aos poucos,
ouvindo  a natureza conversar comigo.
Um silencioso e exuberante...
É uma comunicação...
uma interação,
Uma bela emoção experimentada...
Quando o calor vai,
o sol se põe,
o vento soa.
De ombros...leves..
a paz inigualável.
Ficamos mais leves..,
na paisagem fascinante
brilhos das
flores iluminadas
Luz discreta do fim da tarde.
Faz pensar, 
num diálogo  de silencio

do exuberante 
manto verde 
que cobre a montanha
ver renova.
No silêncio
No pisar na grama verde..
sozinho para cima e para baixo
é um bom exercício
para cá e para lá meu olhar,
pensamentos voam
a se conectar com a natureza..
rumam a mata. 
Os perfumes das flores.
visíveis.
Nada como aproveitar o silêncio pajé.
Ver  ao longe Iomerê,
pude me lembrar do prazer 
que é vagar por suas ruas, praça,
depois da aula noturna no ginasial,
com gente 
colega e  amigos ao meu redor.
Mesmo em momentos mais tranquilos, 
da já noite.
O silêncio tão peculiar desse local
da gente que vive constantemente rodeado de ruídos na cidade..
mas nada é impossível..
evitá-los longe na vida da cidade...
do nosso dia dia..
O silêncio interno...guia
abre possibilidades
os sons
levam minha imaginação mais alucinada
seria capaz de criar.
Aos poucos,
fui ouvindo  
a natureza conversar comigo.

Um silencioso e exuberante...
ponto 
final
As cores 

os perfumes das 
flores...