Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

domingo, 25 de outubro de 2015

Emotions.


Emoções,
acontecem.. 
Encontro,
na estrada...
na cidade,
emoções,
deixo rolar,
sentir.
Importa 
vivo..
vivi,
viverei..
emoções.
Viajar, 
passear,
ver campos, 
matas, 
flores, 
o belo 
fora de nós,
que 
não conhecemos,
Sair de casa, 
Ver,
Tanta gente, 
parar o carro, 
comprar,
ser consumista.
A insatisfação 
sempre, antidoto da inércia
move mentes  
move corpos
em diferentes 
caminhos,
nenhum exagero,
permitir 
apreciar paisagens,
ver coisas. 
Parar o carro 
à beira das estrada...
Sem preocupação 
seduz.
o movimento, 
interesseiro..
Algo encanta,
isso, 
há poesia..
na  
bela paisagem
ou 
"o mundo bonito".
Nada como ser,
"profundo",
no pensamento. 
Da maioria,
que acha
que o homem não é 
feito para "pensar",
Penso muito,
na beira da estradas.
até do destruidor de matas.
Para 
"me divertir, 
beber..
comer",
até rezar, 
é sim.
para isso também,
que estou nesta mesa..em 1987.
  
mas isso.
Esse fundamento, 
aparece em histórias, 
relatos 
quase banais..
Mas a vida é feita de 
pessoas comuns,
pessoas que não 
tiveram escolhas,
pessoas que 
tiveram escolhas
nada de preconceito 
pessoal,
mas sinto isso de pessoas.
Dos que não tiveram amores,
Dos que amaram.
Sol que nasce, 
é para todos,
que chega noite
é isso,
que penso,
quando 
se põe,
bem democrático...
no sol,
nada de novo..
é todo dia assim...
nenhum dia igual a outro.
Mas a natureza 
é sempre uma surpresa.
Só experimento 
meu desejo
insatisfeito,
sair por ai,
como todos, continuamos desejando.
Escrevo,
um POST,
num percurso de uma vida.
Algo na estrada 
me conduz à inquietude,
no olhar,
na sensibilidade 
exacerbo 
no coração humano.

Ao volante...
ou a pé,
observo. 
pela rua,
pela estrada.
Ao ficar sob o sol, 
na estrada deserta,
ai sozinho guio, guio
olho olho.. 
pouco a pouco. 
Sigo pela estrada,
por 
outro sonho, 
por outro mundo, 
longe de casa. 
Sempre que move 
é os pensamentos,
de agora,
dos que deixamos prá trás.
Siga o vento sul...
Sigo, 
que mais 
haverá 
em seguir senão seguir..
deixar fluir,
Na inquietação,
no propósito, 
num nexo, 
uma conseqüência
Sempre, 
sempre, 
sempre,  
assim,
tudo
assim faço.
Num destino
dá força, 
move 
todo ser,
caminhar
pelo mundo,
no vento,
na montanha.
Na estrada, 
ou 
nos caminhos 
da vida...
Sou maleável aos meus movimentos
conscientes e inconscientes..
Há tantas coisas 
que não concordamos 
neste mundo,
mas seguimos no mundo...

Quantas 
coisas que
me emprestaram algo,
onde me  guio,
minhas..fotos...
Sou eu, sou eu,
eu próprio sou.
No Monte Agudo..
sentindo ares.
de Asa Delta.
À margem havia um casebre 
sim, um casebre
à beira da estrada.
À direita,
à esquerda, 
na montanha,
Tangará é onde nasci,

da mata verde 
dos pinheiros 
ao longe.
Parece aqui,
que há liberdade,
então dá-me liberdade,
quero,
ficar quieto,
observando tudo. 
É agora,
é uma coisa 
é onde estou,
é um lugar lindo.
Pobre,
que tem aos olhos,
para tanta beleza.
Ou,
esqueceram de incluir,
só incluir.
À direita no casebre modesto, 
mais que modesto...
um menino brinca 
A vida ali deve ser feliz, 
só não digo isso,
só esta casa não é a minha.
Se alguém viu na janela 
dum casebre,
um menino,
dirá:
Aquele,
que é feliz.
Talvez na criança brincando  
na beira da estrada,
que seja então.
Voltando de Porto Alegre...
Ouvindo o ronco do motor,  
o vento no rosto,
meu pensamento se dispersa.
Serei um príncipe de todo  
adiante 
com tanta pobreza,
serei alguém olhando assim,
até na curva que 
quase me perdi.
Deixarei escrito,
tudo dos meus sonhos 
que 
nunca deixei para trás
assim é tudo,
nos sonhos na vida, 
algo que nos deixa cada segundo,
como 
na  aula  de Anatomia.
Mas sigo 
paisagens,
campos,
vacas,
verde,
me 
perco ao olhar 
no horizonte,
sumo na distância 
que alcanço.


Mas o 
coração 
ficou 
na casinha pobre 
num monte de pedras,
que me desviei, vê-la, levou 
tanta memória, revê-las,
À porta do casebre,
meu coração vazio,
meu coração insatisfeito,
meu coração humano.
Texto
Photo.
Rebel.