Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

Falls

Um gesto..
a sensibilidade....
é a vida 
que celebro,
escrevo assim,
ai é onde 
tem poesia,
o sol,
o verde,
a mata,  
os afetos desejados,
é que mais importa,
que intervém na vida..
Sei que assim somos...
que a vida é só nossa,
então,
absorvo e capto, 
assim que vivemos,
cada um do seu jeito..
Além de maravilhoso
o universo da cidade 
do interior 
tenho  predileção....
neste mundo a parte...
Me abro tanto assim..
sei que é assim,
as relações humanas,
gosto de me situar,
de abordar a vida
com muita sensibilidade.
Vida do campo..da mata.
Já que me dei conta,
que nos últimos anos estava
distante desta linda terra 
onde meu afeto se prende.
É nesse mergulho introspectivo,
não fico alheio ao mundo real,
Saio por ai...
e constato nos rápidos diálogos 
com os amigos e 
numa longa conversa 
com uma grande amiga...
que muito se perdeu no tempo...
Toda reflexão 
se faz também com olhares 
e silêncios.
Nossa conversa, 
alterna o presente 
com recordações 
da infância minha, 
especialmente 
os momentos passados 
com o amigo que acaba 
de  vir comigo ao sítio.
Percebo que a ingenuidade,
daqueles dias 
distantes contrasta 
com a rudeza da vida adulta 
de hoje. 
Redescubro a cada momento, 
que reverenciamos da infância 
e percebo algo novo..
algo do menino que 
foi ainda vive em mim...
Não por acaso  nossa conversa 
esta ancorada nesse tempo e suas vicissitudes..
Ao mesmo tempo, o retorno para algo  
que já escrevi,
este lugar 
e a linda cachoeira..
agora como proprietário..
nos poemas..
o gesto de olhar 
para mim mesmo, 
para a infância.
Meus silêncios
nunca formam empecilhos.. 
de seguir...
sobretudo onde existia 
a delicadeza, a amizade..
presentes nas relações 
do garoto que encontrava 
na loja do Barreta, 
onde se me encantava junto 
com seus irmãos.. 
dos brinquedos expostos 
na pratilheira.
Ah é um tempo que celebro,
ao relembrar  
celebro com poesia 
a força dos afetos que sustentam as amizades... 
Aqui em Iomerê...
vendo a  água descer 
nas rochas na minha  
cachoeira...
todo paraíso 
tem cachoeira,
e
já tenho a minha..
não falta algo,
então..