Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Penso, Nada me faz Calar.

Um questionamento de muitos 
até de sábios como...
escritor britânico 
Richard Dawkins,
então falando de Cristo..
de Deus.
O filósofo católico Gianni Vattimo, 
afirma:
"Nietzsche é um cristão inconsciente"....
Não são produtivos esforços 
contemporâneos
para conciliar com o cristianismo,
concepções
de mundo que lhe são inteiramente 
antagônicas,
como o pensamento de Nietzsche 
ou o de Marx.
Que..
"Penso,
nada me faz calar" 
é sobre o nada que somos...
Até comum uma tentativa de
converter ou reverter
ao cristianismo,
pensadores 
conhecidamente
ateus ou deístas.
Até Voltaire...
que diante da tentativa de conversão..
disse:
Em nome de Deus, senhor,
não me faleis mais desse homem
e deixai-me expirar em paz".
Pois bem, 
pior de tudo é a conversão fraudulenta
de um filósofo..
sim é a conversão fraudulenta coloca
baixo todo seu pensamento,
sua filosofia,
sobre uma religião
à qual sempre se opôs.
Voltando a Nietzsche,
que fazia pouco caso,
de se contradizer.
Por isso mesmo, 
tenho certeza que, 
ele era um grande pensador,
Nietzsche é um artista 
como é um filósofo.
Assim, é possível achar 
trechos de seus escritos
em que sua atitude 
ante o cristianismo
não seja de pura rejeição. 
Já em 1938,
o filósofo Karl Jaspers 
pinçou vários deles, 
ao falar sobre
 "Nietzsche e o cristianismo".
E até teólogos, como Eugen Biser, 
têm feito o mesmo.
Entretanto não há como negar que
Nietzsche escolheu o cristianismo
como seu inimigo principal,
nos pontos cardeais das obras mais
importantes que escreveu.
Ora, Nietzsche,
dizia que era mais importante escolher,
quem seria seu desafeto,
ou
bem os inimigos do que os amigos.
De fato, é naquilo a que uma filosofia
se opõe é que se percebe seu gume.
Privá-la de seu inimigo equivale 
a embotá-la.
Em
"O Anticristo", lê-se:
"É necessário dizer QUEM 
consideramos nossa antítese...
os teólogos e todos os que 
têm sangue de teólogo,
nas veias,
enfim,
quase toda a nossa 
filosofia ocidental...
Parece-me claro que, 
se Nietzsche 
soubesse,
mais da teologia,
ou que teria proximidade com 
os  teólogos
tentaria  ,
em cooptá-lo, 
ou que eles em algum ponto,
fariam o mesmo.
Nietzsche é tudo incerteza...
Mas consideraria quem sabe, 
seus mais infames 
inimigos.
Mais leal é um papa que reconhece 
como inimigo
um pensador como esse que, 
ao se perguntar
"o que é mais nocivo que qualquer vício",
não hesita em responder: 
"A ativa compaixão
por todos os malogrados e fracos 
é uma máxima do cristianismo".
Bem tá ai..a discussão...
"Que homens são aqueles que fazem
sua vida no habito de criticar...
o cristianismo?"
Palavras nada mais 
que palavras sobre
o que é anterior às palavras,
são pulsões, emoções.
Nada demais lembrar:
Nietzsche 
em..
"Assim Falou Zarathustra",
desdenhou a humildade
e a obediência,
como virtudes servis,
pelas quais os homens 
teriam sido reprimidos..
coisas que a igreja apregoa como maiores virtudes..
ele era um ser que pregava,
"a ufania e a liberdade
absoluta do homem"...
sem nenhuma renúncia 
imprescindível à 
"autorrealização'".
Continua.. tudo assim...
uma certeza...
diante da incerteza...
"Deus, 
um Delírio"  
de muitos 
e uma fé 
da maioria..