Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

quinta-feira, 8 de outubro de 2015

Wish I could go back, and change these years.

A vida se move,
para frente...
Todos mudam assim.
E seja isto até o fim.
Há um relógio,
ligado sempre,
é cruel,
O tempo é cruel,
Olho, 
vejo o tempo passar...
em silenciosas horas da noite.
Temos a consciência 
do tempo que passa..
dos anos que não voltam mais. Sou, 
como todos vocês..
estimo cada minuto 
que passa.
vida é como
um filme,
acompanha
no tempo,
aparece..
cores, 
flores, 
beijos
como
amores...
encontros,
desencontros,
a união
e a  separação,
a rejeição,
num cenário,
nunca 
único
varia
de um 
em um
ou cada um 
e fazemos 
volta e meia 
entre há uma 
ponte inevitável...
com o passado...
já que tudo 
é passado.
Mas cada pessoa,
guarda sua
história como apenas
um esqueleto,
enquanto relembra 
vai reconstruindo,
as partes..
juntado peças
como fosse 
um anatomista
que reconstrói 
um esqueleto
despedaçado..
ou um cirurgião, 
que recompõem
um corpo despedaçado,
nas vivências afetivas,
de introjeções
e projeções
mentais
e visuais, 
em que se entrelaçam 
fragmentos
da nossa vida 
com aversões, 
subversões 
e encantamentos...
da eterna associação de 
Amor 
Ódio,
como os clichês de um filme
e do romantismo. 
O resultado permanece difícil,
desigual em muitos momentos,
mas ainda 
guardamos intactos 
instantes
da intensa vida interior,
que nos ajudam a lembrar
que a vida 
também imita a arte do cinema
e pode ter 
ser 
poesia, 
em vez
da linguagem linear e previsível
que se tornou...
comum na internet hoje.
Decifro-me assim...
Chegado a esse ponto,
onde cada um pode experimentar 
diversas sensações,
que vão da frustração,
arrependimento
ou 
vontade incontornável de criar algo..
ou nova família,
Imperdoáveis alguns erros.
Fale a “verdade”, 
de que não houve sexo...
envolvido na sua separação..
Um  indagação sem resposta...
afirmativa ou negativa. 
Minta e diga
que nunca nada aconteceu.
Não importa.
A traição é como 
um ‘não amor’..
dói muito mais 
se não é qualquer paixão...
e acaba.
A vontade de viajar..
os medos  de dizer
que  nunca compartilhei 
momentos de sedução e prazer 
com outra pessoa,
as inseguranças..
mas também os sonhos.. 
daquilo que você nunca fez...
tudo a tempo.
As reflexões é que, 
e que há tempo que muitas coisas
se foram,
não mais tomam seu tempo, 
embora 
não sumiram da sua mente..
nas reflexões do fim 
seu relacionamento.
Sim e não,
provavelmente  você 
não entenderá como a traição  
vem  de noites de tesão resolvidas 
em um motel.
Arrisco a afirmar, 
nenhuma mulher 
entenderá perfeitamente
a dimensão
e o significado de tudo,
dificilmente perdoará.
Também se algum dia se
assumirá 
que pecou e,
não descarte,
que acabou
nos braços do ‘não amor’...
que um dia
acabou...
depois que virou paixão.
Eu já tive...uma paixão assim. 
Estávamos comprometidos, 
chegamos a pensar que
nos amávamos,
mas nunca aconteceu nada
além de cafés de manhã
clandestinos e
 milhares de e-mails.
Há a mulher que o pegou
e apesar dos anos 
nunca lhe perdoou.
Ainda tem a mulher
que mantem a nossa amizade..
muito mais transparente e clara
que na época...em segredo.
Outra um não amor adolescente, 
que me disse francamente que
deixaria tudo por mim,
mas que não seria além de amante
se eu a aceitasse.
Saí correndo. 
O não amor 
é isso mesmo.
As pessoas são assim mesmo.
Umas são o que são...
Outras 
fingem que são... 
Algumas 
pensam que são.. 
Há pessoas que querem ser... 
Há as que não conseguem ser... 
Há as que precisam ser... 
Há as que cansaram de ser 
e
Há as que vão ser. 
E tem muito mais, 
acredito.
Acredite.
Mas a melhor 
de todas elas, 
são as que são
e ainda 
nos fazem seres...
felizes..
sempre 

ou as vezes.
Ando escrevendo
como que,
navegando no Grande 
Canal Veneza...
flutuando à deriva
num lugar romântico...
segue o barco,
Vêneto terra do meus 
antepassados Italianos.