Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

segunda-feira, 2 de novembro de 2015

Psicanálise

Psicanálise é algo original, 
uma experiência original..
A psicanálise introduziu
uma novidade 
na nossa cultura humana
ocidental.
Na obra de Freud encontramos as primeiras 
cinco psicanálises.
(Freud, 1910/1976), 
os cinco casos clínicos...fez aquilo,
que é Psicanálise.
Psicanálise é, 

com Lacan, 
fica mais segura.
A Psicanálise é uma experiência 
original...nunca uma ciência.
A Psicanálise aplicada é o tratamento psicanalítico. 
Aquilo que escapa ao tratamento 
psicanalítico 
é a teoria psicanalítica..
O psicanalista, quando 
faz o seu trabalho, antes tem que fazer a sua análise pessoal..
sua análise tem a ver com  
introspecção, a reflexão 
e mesmo a reflexão dialética 
Então, quando Freud se propôs a tratar seus pacientes, não investigando seus organismos, mas convidando-os a associar livremente, 
fez uma mudança radical na concepção 
em como lidar com os pacientes..numa relação. 
Fundamentalmente, a Psicanálise  é uma relação entre falantes. Ou seja, é uma ciência humana, porque só o ser humano é um ser falante.
Freud propôs a associação livre..
em seus pacientes, 
introduziu ali um novo método de investigação, assim como Galileu e Bacon haviam inaugurado a ciência experimental na Idade Moderna, a investigação experimental, para estudar as leis de funcionamento da natureza.
É muito importante que se entenda que o experimento é uma construção ideal de investigação, de pesquisa. Todos os que fizeram curso de psicologia sabem que a ciência do comportamento é uma ciência baseada no experimento, principalmente, nos experimentos com animais, tomando-os como base do comportamento. 
E a ideia de comportamento foi a noção que se construiu, em meados do século passado, para introduzir o experimento na ciência humana, na ciência humana da psicologia. 
Na Psicanálise, na associação livre, não vai haver essa separação entre sujeito e objeto porque nós sabemos vai haver a transferência. 
O fenômeno da transferência, que é um fenômeno humano, não é psicanalítico, é um fenômeno que ocorre, justamente, nas relações entre os falantes. 
A Psicanálise possibilita uma investigação que nunca havia sido feita até então antes de Freud. 
A teoria psicanalítica é muito fascinante para o ser humano, mas esquecemos que aquilo que é obtido através da relação entre falantes, na transferência, é obtido por um processo inconsciente. E a consciência tenta transmitir isso, mas há um salto entre a experiência original e sua transmissão.
A única maneira que nós temos de nos aproximar do inconsciente, foi Freud descobriu que é a Psicanálise.
O inconsciente aparece nos fenômenos da linguagem..: atos falhos, sonhos, esquecimentos, sintomas, principalmente os sintomas orgânicos, histéricos inicialmente...
São manifestações objetivas, não são o inconsciente, e sim são efeitos do inconsciente.
O analista faz com que a pessoa se torne, de certa forma, ela mesma, um analista de si mesma. 
É isso que vai ocorrer no fim da análise. 
O sujeito traz em si as razões de seus sintomas, 
e é ele que pode realmente, não só investigá-los, mas superá-los naquilo que for possível. 
Freud, percebeu que, na medida em que as pessoas falavam de seus sintomas, 
estes mesmos sintomas iam desaparecendo 
sem que ele tivesse feito nada mais diretamente: nem dado remédio, nem feito massagem, nada disso. 
Quer dizer, o fato da pessoa mesma falar 
ou seja sua linguagem, produzia efeitos terapêuticos. 
Essa é a grande descoberta de Freud, 
quer dizer, uma linguagem, que tem o efeito de transformação da realidade, 
e que hoje podemos chamar, 
da nossa realidade de gozo, ou seja, 
daquilo que vai além do prazer e que 
também traz sofrimento.
Assim, doenças  para a Psicanálise, 
não só trazem sofrimento, mas também 
têm prazer, também têm gozo, 
implicado nelas. 
E isto encobre para a nossa sociedade, 
para a nossa cultura, a possibilidade 
das pessoas poderem se dar conta disso: 
o uso que elas estão fazendo.
Hoje, em 100 anos de Psicanálise,
há  uma maneira mais ampla de separar 
a nossa realidade, da realidade externa a nós... 
entre interno e externo..
A psicanálise, na linguagem 
liga interno e externo; aquilo que nós falamos é o nosso corpo, 
também, são as nossas idéias. 
As nossas idéias refletem, 
portanto, o nosso corpo.
Quando fazemos análise nos 
damos conta de que não estamos 
recuperando uma saúde perdida. 
Continuamos angustiados, 
continuamos desejantes, mas 
conseguimos, de alguma forma, 
lidar com isso de uma maneira 
mais adequada, 
que não impeça, que não bloqueie..
Mas não eliminamos nada. 
Não há um corte, não há uma cirurgia...
um certo desligamento de um passado, 
num nível da linguagem onde nós estamos 
sempre, lidando, ao mesmo tempo, 
o passado, 
o presente e 
o futuro. 
O nosso imaginário está articulado, 
através da linguagem, 
essa realidade complexa 
que é dar conta 
ou vazão dos desejos. 
A Psicanálise revela..
Nós não conseguimos 
reproduzir aquilo que foi vivido. 
A nossa linguagem é irreproduzível: 
o passado passou. 
Quando o analisado associa 
livremente ele já está construindo 
a sua realidade inconsciente..associando livremente, e portanto está 
produzindo alguma coisa nova. 
Ele não está, simplesmente, 
reproduzindo algo que ele viveu. 
Então, quando temos uma fantasia 
o que estamos fazendo... 
Estamos construindo uma linguagem 
para dar conta de uma falta. 
A fantasia, ao mesmo tempo, 
nos aparece como algo irreal,
é uma fantasia, nós dizemos, é um sonho,
alguma coisa que não existe, 
que foi construída pela 
minha imaginação, mas 
tem uma função real para lidar com o desejo. 
A fantasia é um elemento importantíssimo na experiência analítica, 
porque toda investigação analítica, 
no fundo, se reduz a um percurso 
das fantasias,
através de sua associação, 
podemos falar de todos os momentos ,significativos da sua fantasia 
e da sua relação com as pessoas 
significativas da sua realidade. 
Uma pessoa leiga, a não ser em alguns livros de divulgação, não vai entender o que os analistas estão falando sobre a Psicanálise. Assim como eu não vou entender um livro de física se eu não conhecer física. 
Só com o bom senso eu não 
posso acompanhar o que a ciência moderna faz, 
porque ela já tem uma metodologia especial para investigar a realidade. 
A Psicanálise também. 
A associação livre, a intervenção do analista, 
o desejo do analista, ou seja a psicanálise propõe..neste método novo.
Uma pessoa leiga não pode fazer isto, não pode entender isto. A não ser os textos que 
os analistas produzem para falar 
da Psicanálise de uma maneira a transmitir 
para o grande público 
o que é a psicanálise. 
Meu jeito de transmitir algo da psicanálise 
para pessoas que são analistas, 
mas que tem um interesse 
pela Psicanálise.