Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

quarta-feira, 29 de junho de 2016

Iomerê

Uma bela história...
Do 
engenheiro Domingos Marchetti
 (1893-1975) 
Um Italiano que andou por Iomerê. 
Eis o relato no seu livro: 
Para se ir a Iomerê, de São Paulo, em 1934, precisava-se de dois dias de trem, 
chegava até Videira, 
e mais umas duas horas de cavalo 
ou charrete até Iomerê, onde se passava por bosques lindíssimos. 
O lugar era de colonização italiana, 
de filhos e netos de italianos. 
Os Italianos vieram de Vêneto - Italia, 
se fixaram no Rio Grande do Sul 
e depois seus filhos e netos migraram 
para esta Aldeia. 
Encontrar se em Iomerê 
era uma emoção, os padres 
eram Camilianos, Italianos, 
gente muito bonita e saudável 
e costumes severos. 
Os camilianos celebravam 
missas a todo habitantes, também, 
nos feriados ia-se pescar num Rio 
não muito Longe, em que a pesca 
era abundante. 
Os habitantes eram associados 
a uma cooperativa que tinha: 
Moinho, Serraria, Mercado, 
e cada família 
tinha sua própria conta, 
e o dinheiro quase não circulava. 
As casas era toda de madeira. 
A primeira construção de alvenaria na região, foi ele que contruiu uma Olaria 
e levou Oleiros de Jaboticabal SP 
para contruir 
os primeiros tijolos no lugar.
Iomerê é descrita como sendo, 
uma Aldeia Italiana, 
em que os habitantes eram filhos 
e netos de imigrantes italianos 
do Vêneto, 
vindo ao Brasil nos fins do seculo 19, 
que se fixaram no Rio Grande do Sul, 
emigraram, filhos e netos 
destes Italianos 
para Santa Catarina, 
para colonizar terras, 
numa Aldeia, de dificil acesso 
e viviam de forma Isolada, mantiveram 
costumes e língua e que usavam moedas austriacas do Tirol, 
que circulavam no Vêneto-Italia 
antes de 1866. 
Em Iomerê havia homens que tinham 
participado de guerras na Italia 
e a paróquia era dirigidas pelos 
padre Camilianos de origem italiana. 
Cita ele: Havia um homem que tocava 
harmonica, e que a noite, 
acompanhado por ele, cantavamos 
velhas canções militares. 
Relato de 1934 de Domingos Marcheti, engenheiro e construtor 
italiano que esteve em Iomerê 
neste período, 
relacionado a construção 
do Juvenato de Iomerê