Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

domingo, 8 de outubro de 2017

Walking

...
Caminhar
acima
de tudo é 
um bom 
exercício.
Faço o que 
todo 
homem faz, 
Não o seria se fizesse mais.
Macbeth...
Na foto caminhando 
para este post do blog.
Quem caminha 
chega a um lugar..
pode ser..
Navegar seria 
o equivalente 
ao ato de caminhar,
de forma coletiva 
ou individual 
Navegamos
em águas ou sem águas
na web, 
Águas nunca 
dantes navegadas.
ou não.
Então, como diz em
A Invenção do Humano, 
Harold Bloom, 
que aborda,
caminhos
do homem,
Ele afirma
Nossa
consciência 
de homem moderno
nasceu com 
Hamlet...
Há mais coisas no céu e terra.
"ser ou não ser",
de 
W. Shakespeare.
Então, 
a
consciência  
do 
homem 
moderno, 
com traços de uma árvore,
Shakespeare,
seria o tronco, 
e o resto,
os galhos,
Goethe,
Kant,
Freud, 
Dostoiévski 
e até 
Guimarães Rosa,.
Um tronco que  
a  meu ver
René Descartes 
Santo Agostinho,
de onde vem
o"sou, 
logo existo"...
Ou
Sartre, 
que 
a existência 
precede 
a essência...
ou 
Baruch Spinoza, 
que, 
a felicidade 
é a compeensão  
lógica da vida. 
A a loucura do 
"ser ou não",
que nos afligem
e está 
ao longo
da história, 
de antes 
e desde 
Hamlet, 
de 
Shakespeare,
em seu confronto 
com a razão,
ganha
uma das mais belas 
e dramáticas leituras. 
A razão do príncipe 
só se justifica 
através 
da loucura.
Todas coisas desse 
mundo são
efêmeras,
transitórias 
e mortais,
em si 
e fora de si 
e todas, 
cheias de 
Alegrias 
de
Felicidade 
e tantas 
como  outras 
cheias 
de tristezas,
cheias de ódio,
tédio,
angústias 
de tormentas,
passíveis 
de infinitos perigos..
as quais nós, 
vivemos 
imersos
ou
somos parte,
e
não podemos 
resistir,
nem evitar,
sem a especial 
graça de Deus 
ou
sem que 
não nos 
emprestasse 
força 
e sagacidade.
Hamlet,
ou Macbeth, 
este discurso caberia 
na boca de todos nós
não fosse a conclusão
tão reverente 
ao Altíssimo.
Aparentemente 
Harold Bloom 
que era devoto,
de Boccaccio 
e já esclarece, 
na introdução 
do livro, 
que o livro
não é direcionado
a Deus, 
mas ao juízo dos homens.
Com o sem à 
sua falta de juízo. 
e fã de
"Decameron" 
um decálogo de desvios, 
um paraíso de putas 
ardilosas, 
freiras volúveis, 
padres ladrões 
e bandidos 
de toda a espécie.
Com seus 
bustos de mármore 
do Império Romano t
também seduzem 
por seus defeitos. 
Narigudos, papudos e olheirudos, 
se distanciam do ideal 
olímpico dos gregos.
Vênus e a Samotrácia 
ele admirava,
tanto quanto os 
Tintorettos da Scuola 
de San Rocco, 
mas as rugas romanas 
me provocam, diz.. 
Bloom
com mesmo deleite dos rostos
da Renascença, 
ou
dos pecadores 
de Boccaccio..
que revelam,]
os anseios,
a fragilidade,
a torpeza e
a mortalidade de todos 
os humanos 
ou da gente
como eu e você.
Gosto também de admirar
Australopithecus afarensis
caminhando abraçado
pela planície de Laetoli,
O par de macacos bípedes 
passeia enlaçado, 
enquanto admiram 
a paisagem ancestral.
São Adão e Eva encarnados
e não destoam dos "sapiens" 
apaixonados que somos.
Difícil mesmo é reconhecer 
o que
há de humano nos 
games interativos   
nos jogos on-line,
Quando os 
vejo aos berros, 
imerso 
na batalha imaginária, 
tenho dificuldade 
de acreditar que, 
algum dia, 
Hamlet fará sentido 
para eles...
este dias 
na praça da 
Matriz de Videira,
via
fãs do Smartfone 
e Pokemom Go,
pensei como lá, 
e quantos e quantos meios 
há de refletir, 
ou  lá  
no alto  
da montanha 
como
na foto 
Sim,
temo, 
como a
retrógrada santa 
inquisição, 
que isso seja.
esta obsessão 
pela realidade 
virtual, 
de hoje,
como é outros males, 
como é 
aquecimento global, 
Temo
pelo 
futuro digno,
da humanidade...
lembrando 
e refletindo sempre. 
Caminhar é 
um bom 
exercício.
......
Faço o que todo
homem faz, 
Não o seria se fizesse mais.

Macbeth.