Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

quarta-feira, 15 de março de 2017

Livre, Leve e Solto.

Hoje a 
felicidade
está aqui,
no morro agudo.
Sentindo 
poeticamente
a montanha.
Escreverei 
o
que passou, 
que passa
e o que é apenas
desejo,
mas sei
que
virá.
..
Retornando 
à minha 
forma, 
por
lugares 
inspiradores,
no clima fresco,
no vento suave,
no perigo real,
do precipício da borda da montanha..
...
Sozinho,
sem amarras, 
livre, 
ouvindo 
o som
do vento
que
me
faz 
sentir
como é viver 
poeticamente
e
ficar 
horas a fio
no 
ponto 
mais alto acima de mil metros.
...
Sou 
apenas 
isso.
um cara
não tão
velho, 
isso é tudo.
Velho,
não quero 
dizer ultrapassado,
Antes passei na gruta 
em São Marcos,
agradeci, 
como já agradeço
desde os anos 60.
A gruta de 1947,
minha mãe,
nasceu ali
no entorno,
no alto
bem
próximo, 
já devota de 
Nossa Senhora.
...
Ser velho,
a gente 
leva
um tempo, 
para 
saber reconhecer,,
que é bom 
mas que às 
vezes não é.
Tudo 
funciona não
da mesma 
forma.
por isso,
o desejo 
de voltar 
a antiga 
forma 
física
é algo 
imperioso.
Estar
num
corpo 
desenvolto 
responsivo 
a todos estímulos 
é outra coisa.
Então,..
tá ai meu foco
é nas coisas,
daqui, 
no alto,
deixo lá 
embaixo, 
preocupações,
a grana curta,
num clima, 
de
céu azul lindo.
Uma tarde,
dedicada
aos 
insights,
fotografia.
O alto deixa 
a opção de
captar
infinitas,
possibilidades, 
num
lugar onde posso 
me dedicar
a sentar-me
até
alugar o banco por horas,
tem até 2
bancos,
então,
não é um
lugar qualquer,
mas um lugar, 
assim
nunca
será qualquer 
outra...
aqui sou
outro ser,
empolgado 
e inspirado,
nas
coisas da terra, 
do céu,
da montanha, 
o mirar longe, 
deslumbrante,
num lugar admirado
desde que 
mirava o alto
na 
minha infância anos 60.
Este é
o morro agudo
que habita 
meu inconsciente,
e meus sonhos.
...
Feliz de
estar 
vivo 

ver  
do alto
ver 
longe
o lugar 
que passei, 
que 
nasci, 
que cresci
onde tive
os meus primeiros passos,
os primeiros
7 anos,
Aqui
dei os 
primeiros
passos,
conheci 
o primeiro médico,
levei 
a primeira vacina 
e a primeira injeção,
a primeira internação
o primeiro hospital,
lembranças do 
Dr. Antonio Teixeira, 
exemplo de médico
mas que 
depois também
me tornei.
Porque isso 
gosto de
lugares altos,
a brisa,
a liberdade.
o pricipício,
há um
êxtase
na mente. 
...
Aqui...
Ando
sempre.
pensando,
algo
bom 
sempre
virá 
em 
todas 
as 
coisas 
em todos os caminhos,
ainda que 
reconhecemos 
que 
o mundo,
nos decepciona,
criamos
expectativas
na humanidade...
não suportamos
o narcisismo 
alheio...
nem o nosso...
não....
Existo aqui
mas 
sem aparecer.
Conflitos românticos,
há,
não tenho
o menor problema
de estar
na
montanha 
ter o HiFi desligado. 
Alguém que ama,
longe
sem 
estar conectado no 
meu
smartfone.
O
ser humano 
sabe
que existiu até aqui,
sempre,
sem a necessidade
de bobagens que 
há por ai,
esta conexão ininterrupta 
e muitos buscam e abusam
perdem precisos 
momentos de refeçxão e 
introspeção, 
um 
bem estar.
Talvez a maioria 
não se dá conta,
que viver seja isso,
que a vida é sentida 
com a consciência 
bem acesa,
e profunda,
num 
mundo 
que está 
sempre 
te distraindo..
te tirando 
do foco. 
Que a vida
tudo passa
pela
contemplação,
reflexão
e meditação.
senão 
numa piscada de olho, 
toda sensação 
boa vai embora,
Observando 
pessoas 
no maior,
sentido 
ou vivendo 
no ápice
da
modernidade
digitando
sem pausas
cada segundo
na montanha,
via HiFi.
é isso que senti.
Sentar-se 
no concreto,
junto aos cabos 
onde
as
antenas estão fixadas.
ficar ali
e ver o sol se pôr,
observando 
céus cintilantes
céus distantes,
nas muitas longas 
cadeias de montanhas
do oeste
da minha terra
é sentir 
que toda aquela terra 
está bem verde..
bem viva, 
é
inacreditável,
só escrever,
melhor
é o que
as pessoas 
sentem, 
vendo as fotos 
desta imensidão 
do horizonte à vista
em Tangará
onde ainda
criança,
as vezes chorava
ao ver que
escurecer a montanha
na chegada da noite...
mas no tempo percebi,
o sol se vai e
escurece não só a mim
mas
na vida de todos 
em todos os cantos,
os rios, 
os
picos 
as beiradas
as dobras,
Criança é assim
preocupa, 
um medo,
que vem e
vai 
no
anoitecer
que
vai acontecer
no fim de tarde 
percebe maravilhado 
e nada vai contecer
que
tudo não acaba 
num pôr de sol
não somos
abandonados..
na escuridão...
acho
que
o pai nunca 
nos abandona, 
encontramos, 
Deus 
nessa hora...
então
me permito
contemplar,
livre 
leve 
e solto,
o maravilhoso 
pôr do sol.

...
Logo 
anoitecendo,
quase
crepúsculo,
as montanhas, 
e plantações, 
os campos 
dourados
me fez pensar 
na cor do amor 
na cor dos mistérios 
na cor da esperança...
na única cor
que me estimula
a fazer isso
continuar
sentado 
tanta beleza 
prendem no olhar 
até ficar bêbado 
e no libertam
é tudo 
cheio de verdades..
completamente
cheio,
de fotos, 
e de palavras 
em mente...
enfim fazer assim
esta postagem.