Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Perdão e Pecado


...
Vendo luzes
da cidade,
detalhes 
são
quase invisíveis..
mas
me importo olhar 
o céu,
pessoas 
e carros
Não me importo em sua indiferença,
sinto apenas 
um impulso,
uma motivação 
em 
contemplar
luzes..
e no dourado residual,
no movimento..
Ruas e calçadas..
não sabem os motivos,
que os observo..
ninguém  sabe..
mas foto é bela pelas luzes
uma visão muito diferente..
A noite começa lentamente...
Enquanto tento captar..
o trânsito da cidade,
Vendo as luzes da cidade..
tenho a noção de um pesadelo 
do aglomerado urbano..
depois das 18 Horas..
ao longo da foto..
Em dado momento
nas luzes da cidade 
sou eu..
ou um pouco de cada um,
deixo de ser um 
tipo de classe
para me tornar um espelho

que reflete 
a inviabilidade da cidade
e o preconceito...
a violência,
de seus habitantes.
É diante dos olhos..
tudo passa,
de detalhes em detalhes,
quase invisíveis,
de barulhos, 
gritos...
latidos.
É verdade que 
nas horas vagas
nada é tão sério assim,
só quem tiver olhos 
para o ver
quê há de tenebroso, 
na verdade.
Mas quem é santo..
ou pecador.
O fato é que  a noite tem algo que mobiliza...
Luzes que acendem ou apagam nas casas
e casais se reencontram..
em janelas, em quartos.
O que há de errado é difícil dizer...
apenas observo..
Mas há: basta olhar.
E quanto uma garota...
que passa com 
a bíblia na mão
e que se crê destinada 
a salvar
os homens dos pecados,
Basta olhar, também.
Pois nas luzes da cidade 
tem algo que é transparente.
Quanto ao resto, 
ninguém é perfeito...
Há um bela igreja no Bairro..
muitos fieis rumam, outros a
orar a essa hora, 
num som distante.
No mundo..
a esta hora tem 
seu próprio movimento
tudo caminha para o 
bem e para o mal..
Anoitece,
Perdão e Pecado  
caminham 
de mãos dadas.
A liberdade de 
observar dizer 
o que vejo e penso,
que não espero alguém 
para dar chance
de ser transparente.
Pensativo, 
por instantes
continuo...
observar..
sem me importar
que o desejo..
a beleza,
a religiosidade...
a sensualidade,
algo humano,
tão humano...

sobrevive..
noite adentro..
não importa onde 
pousa meu olhar.