Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

1965

Em 
1965,
me divertia 
com a neve.. 
...
Preservar,
tem tudo
a ver 
com história,
e não 
que a vida 
só 
era bela, 
no passado,
o passado glorioso.
Essa 
nostalgia 
da
infância,
preservo 
para mim,
os
melhores
tempos,
o espírito 
de 
uma época, 
me direciono 
neste post.
..
As fotos
são
Junho,
julho ou agosto
de 1965,
não 
importa,
qual mês,
importa o ano,
esta foto 
relembra  
melhor o tempo 
dos anos 60.
Iomerê é sempre 
um 
tema importante 
e
recorrente por isso.
...
Não 
que os 
tempos 
de hoje 
não 
sejam 
importantes.
..
Havia 
um 
tempo
que
tudo era diferente,
eram 
outras 
pessoas.
Muita coisa se perdeu 
de lá dos anos 60,
ah queria você  de volta.
Até a religiosidade 
parece que deu adeus 
a cidade,
que 
hoje é outra,
mais permissiva,
talvez isso
que permitiu 
este estado 
de 
coisas de hoje.
..
Tudo era tão diferente, 
isso, 
várias mudanças que
são 
motivações para
relembrar 
e que 
continuo 
escrever 
sobre 
Iomerê.
..
A
escrita, 
é
sempre
algo
sofisticado
mas 
nunca terá ou será um ponto final,
para 
entender 
pensamento,
ou o momento  
de
Iomerê
de hoje.
..
Dizer...
queria 
você 
de volta,
é hoje muito
mais forte 
do que 
nunca,
os tempos eram muito, 
mas muito diferentes.
mas nada que possa 
nos desiludir,
ou acabar com 
as esperanças.
Preservamos 
quando há passado...
A nostalgia 
é algo 
incontestável 
neste texto.
..
Nostalgia..
Eis algo
que diz 
respeito
a essência 
do texto 
ou de 
estar 
escrevendo de Iomerê,
do tempo que não volta mais.
A minha 
crença
que existe um passado 
luminoso aqui...
não materialmente 
falando,
mas no 
sentido das mentes 
e do espírito
de uma época.
Nestes quesitos  
a cidade teve um 
tempo glorioso, 
anos 60,
nunca 
será  como antes.
...
Se 
alguém
falar
que já é
distante,
ou que 
as pessoas 
de lá não 
existem mais,
pouco 
importa.
Importa sim ainda 
falar dos anos 60.
..
Há ainda 
aqui, 
desde
montanhas.
a antiga
praça,
a
antiga
igreja,
o antigo 
seminário,
o antigo 
hospital,
o antigo 
juvenato...
..
Talvez
muitas 
das misérias 
do 
presente como
competição,
arrogância,
de
tantas pessoas 
e políticos desonestos..etc.
não existiam.
Videira doutro lado 
do morro continua existir..
com idênticos problemas.
..
Nunca 
posso
dizer
que aqui
era 
o paraíso,
sempre. 
Muitos sei que procuraram 
no passado perdido,
um paraíso.
Mas muito de Iomerê 
no caminho 
se perdeu. 
..
A inocência,
é algo
nostálgico..
que 
se perdeu.
Estes tempos
de hoje não conseguem reeditar esta consciência,
Pessoas
são incapazes 
de pensar como 
na época,
apesar 
de toda riqueza 
material e tecnológica
há 
muito aqui progresso
e muitos
ficam 
a condenar
esta nostalgia.,
lutam 
perpetuamente 
contra os
que lembram 
dos gloriosos 
tempos.
Talvez por ignorância.
..
Eu 
sempre
compreendi
que
o passado 
é passado.,
não  moramos 
mais lá 
mas nem 
por isso é 
para ser 
ignorado.
Muitos talvez 
por serem 
oriundos de 
segmentos 
inexpressivos 
neste tempo.
..
Uma certa 
lucidez
permite
acomodar os
seres
humanos
entre
o abismo 
que há entre o passado 
e o presente,
o real, 
o imaginado 
e nem sempre há o ideal..
ontem
hoje,
a mensuração,
a comparação
dentre o 
que existe 
e o que 
deveria existir,
é o que existiu.
Faz muito tempo 
ou há muito
tempo que 
estou aqui...
..
Ainda 
sou daqui,
mas sei 
que
nunca há
um modo
ou modelo 
de vida 
com
perfeição..
Faço esta interrogação da
vida que 
vivi e vivo
aqui.
Vivemos tempos de
Arrogâncias,
Ideologias 
equivocadas,
discursos 
ultrapassados
algo 
perverso
que se 
estabeleceu,
na cidade.
Faz tempo...
Mas o tempo 
segue sempre...
Vagarosamente mas segue.