Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

terça-feira, 18 de outubro de 2016

Mérito de Videira.

...
Eu 
nem sempre
me acho surpreendido, como sempre 
observo,
por quão 
fácil 
é a ingratidão,
que defino como, 
o ato de sair de algo 
sem reconhecer mérito,
de alguém desconhecer 
algum valor,
ou de alguém que se foi, 
e negar o mérito
como
da cidade em sua vida.
Por outro lado
como é bom sentir, 
este lado 
hospitaleiro,
acolhedor
de Videira
que abraça a todos
desde 1900.
O mundo não
ficou assim, 
pela ingratidão
ou mudou 
subitamente
mas ficou acolhedor 
ou 
rico de possibilidades, 
pela gratidão.
Ela existe aqui, 
desde o começo 
do século XX.
Em Videira.
Sinto e 
percebo que 
não 
sou apenas 
um antigo 
morador 
ou
um
Estranho
ou
bobo
aqui
jogando conversa,
com outros estranhos
ou ainda
sem motivos 
importantes
ou
pensando 
lá longe,
mas sou
ainda
alguém,
que tenho meus 
pés firmes aqui.
....
Desde
os anos 10 
ou lá por 
1910
que é a época 
das fotos 
acima e abaixo
que é uma época pioneira,
de lá
para cá,
é antiguidade,
e é
qualquer coisa 
da vida
em que uma maioria 
nem se importa 
ou
se
importava 
...
A vida existia lá 
e aqui
embora alguns duvidem,
o solo 
é o mesmo,
a uva já existia aqui,
claro sem 
estradas boas 
e um ponte entre Vitória 
e Perdizes.
mas
a vida era
mais rude, 
Nem eu me importava 
tanto com o que
era Videira
nos anos 60, 
quando 
vim morar aqui.
Depois fui embora,
Sempre voltava
numa passagem rápida
como visitante,
não
andava 
realmente envolvido 
com a vida de Videira.
....
Hoje
ninguém 
já se importa 
com isso
porque  
a vida é outra,
há muitos 
por aqui
outros
estranhos, 
forasteiros,
que vivem
ou viveram
aqui botam 
algum dinheiro 
no bolso, 
coisa rara 
antes de chegar aqui
e Tchau.
Sobram prá falar mal 
da  cidade.
Voltam para Curitiba e outras 
praças com outro status, 
agora endinheirados 
e desconhecendo 
o mérito 
da cidade em suas vidas.
A ingratidão faz parte 
de todo ser..
uma,
duas,
três.. dez vezes.
Você logo
não vai 
se lembrar, 
de mim
nem do tempo,
que gastei para 
escrever, isso,
ou lembrar
que afeto 
ou ódio,
o amor 

o ressentimento
fazem  
parte
de você 
e isso que o torna
um ser real,
Não tenho nenhuma preocupação,
com que estão pensando, 
Advogados, 
Médicos,
Veterinários
Engenheiros 

Profissionais 
Liberais,
se
onde dormem 
hoje 
na sua noite, 
tem a ver com o dinheirinho 
que ganharam 
aqui
quanto dinheiro, ou se 
é seu
e que nada tenho
com ele ou
de ter ou não,
ou como
eles chegaram lá,
e
todo o tempo 
os vejo assim
de qualquer maneira, 
vejo, como ingratos 

alguns nem todos, 
com Videira.
....
Eu
volto 
aqui todo dia,
do meu sitio 
em Iomerê
mas não aqui 
é uma cidade 
que tem
vida própria,
nada me fará um celebridade aqui.
Se sou
apenas um estranho,
viajo
navego 
na lembranças
com outro pé 
na realidade
que é
a
vida
na louca e estranha passagem
que é nossa
vida tão 
efêmera 
aqui
nossa vida..
............
Eu percebo 
que não 
sou apenas um 
antigo morador ou
um
Estranho
ou
bobo
jogando conversa,
com outros estranhos
e ainda
sem motivos
pensamdo lá longe
de qualquer coisa da vida
em que uma maioria já
nem se importa
ou do tempo
que não se
importava
o que era os anos 60.
Sempre numa passagem 
rápida
e
como visitante.
ando realmente 
Hoje 
estou aqui,
envolvido 
com a vida de Videira,
e ninguém aqui 
se importa com isso
porque eu
volto aqui todo dia,
mas 
Videira 
é uma cidade que tem
vida própria,
Se sou
apenas um estranho,
vejo tudo
com olhos bem abertos
ou
viajo
e
navego nas 
lembranças
da
vida
na louca 
e estranha 
passagem

que 
é 
nossa vida.
Que é tudo
apenas uma ideia, 
que passa 
para onde
tudo é uma coisa simples
chamada admiração, 
que aqui tudo, 
começa e termina,
como uma chama 
que se apaga,
um sonho 
de repente..
um segundo 
já acabou, 
meu post 
no blog..
um
abraço a todos.