Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

VIOLET.


....
Um
olhar.. já
me bastaria
se fosse
pouco acostumado
a beleza.
Nela a beleza
encontro
a  matiz
violeta.
Sei que
nunca
escolhi 
ser assim.
As flores,

natureza, 
um 
ou 
dois 
locais
onde encontro
e faço
uma
leitura diferente 
detalhada
sempre...
cada hora em
cada dia..
há uma 
emoção
de observar...
Há um dinamismo 
impressionante
de hoje, 
ou 
de ontem, 
ou de amanhã.. 
mas sempre o mesmo vigor.
Às vezes, é preciso sair e voltar 
ir além,
várias
vezes...
ter 
em mente a si mesmo 
com isto 
e com força.
Mirei no escultor August Rodin,
1850-1917), ele
 um exímio observador,
que
dava muito importância 
e como dava à fotografia..
EU ME INSPIRO 
EM GRANDES MESTRES...
E
MAIS  QUE ISTO,
É MERA PRETENSÃO.
Em seus arquivos, 
falo de Rodin
foram encontradas 
nada menos do 
que 25 mil fotografias, 
sendo que 7.000 delas foram
encomendas do próprio Rodin.
Por tudo isso, pode-se perceber 
como mesmo os fotógrafos se interessavam em registrar as esculturas de Rodin, um objeto 
até nos mais simples  modos
de trabalhar, 
quando eram necessários 
alguns minutos para 
conseguir registrar uma 
imagem com foco.
Desde 1896, o artista exibia suas esculturas junto de fotografias, 
o que comprova a importância 
que Rodin 
dava a estas últimas. 
Como o artista e seu fotógrafo 
fizeram imagens de lugares e por imagens ora repetidas, 
ora realizadas por ângulos 
distintos, esse painel 
é um testemunho de que Rodin 
não via a fotografia somente como 
um registro mas como algo mais complexo.
Era um época que dizemos já nos tempos modernos, 
que se firmavam na virada do século 19 
para o 20, quando Rodin realizou tal exposição, a aceleração dos processos de reprodução e circulação era fundamental, 
e a fotografia, um de seus meios 
mais eficazes.
Rodin 
era tão consciente 
do papel crescente desse processo e do eventual prejuízo que ele poderia causar, que tinha contratos de exclusividade com os fotógrafos com quem trabalhava, controlando seu modo de fazer.
Dada muita importância 
da "iluminação"..
e como uma forma 
de exposição.
Ele que gostava de registrar as esculturas no momento 
do pôr do sol...
por exemplo.