Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

sábado, 28 de maio de 2016

Attencion.

Alguma.
Nenhuma.
Atenção,
Sutil Diferença.
O que mais queremos 
dos outros 
é atenção...
Mas cuidado,
Eu.. Tu... Eles.....
Por ela, bebês choram 
e crianças aprontam.
Os adultos não dizem,
mas querem,
nunca escondem 
da necessidade,
que tem 
de atenção.
Quando pedi 
que descrevesse 
numa palavra, 
mais queria,
de mim,
a respostas começava com "c":
carinho,
cuidado,
compaixão,
confiança,
cumplicidade,
compreensão
e
consideração. 
Todos desejo, adultos
mas também infantis, 
com
um denominador comum: 
Atenção.
Nós a 
buscamos porque 
só pela visão dos outros 
podemos 
conhecer a nós mesmos.
Como diz "Diferentemente", 
de Caetano Veloso:
"É você quem me olhando 
detona 
a explosão de seu saber 
quem eu sou".
Esses espelhos humanos 
nos tornam visíveis 
a nós mesmos, 
revelam 
nossas virtudes e vícios, 
permitem que aprimoremos 
quem somos. 
 Deus, 
ajude a ser a pessoa 
que meu cachorro 
pensa que eu sou..
Reflete esse desejo 

a importância do olhar alheio.
Muita gente procura plateia 
porque ser o centro 
das atenções melhora 
nossa autoimagem, 
o que é gratificante.
Ter a total atenção 
de alguém também é afetuoso.
Alguém de ouvido atento e o olhar penetrante, 
absorvendo cada palavra.
Então melhor  dizendo: 
Se você não se mostra com atenção, 
é indiferente, 
é o fim da linha"..
em certas situações na vida.
No corre-corre diário, também 
queremos o tempo das pessoas. 
Mas não tanto quanto sua atenção. 
O tempo é parte do pacote, 
mas não garante a atenção. 
Pergunte a uma mulher que sai 
com um homem 
que só fala da ex 
e ela lhe dirá 
que você precisa aprender 
com alguém...
algo diferente...

A atenção é muito valorizada. 
Por isso, 
diferenciam o tempo normal do 
de qualidade, 
períodos curtos em 
que dão àqueles 
que se amam total atenção.
No interior do Brasil, 
onde as pessoas nos dão mais atenção 
e têm mais tempo para nos receber 
do que os urbanos,
isso acontece
Prisioneiros se unem a facções 
não só para sobreviver mas 
para reduzir o isolamento social.
Estudos mostram que a pessoa 
na cela solitária prefere o pior 
companheiro à solidão,
que qualquer atenção 
é melhor do que nenhuma.

O que mais molda nossa identidade 
é a interação social.
Por isso, 
precisamos 
de atenção desde 
que nascemos. 
Quando crescemos, 
uma forma de atenção, 
o reconhecimento, 
torna-se crucial.
Quanto mais cientes 
ficamos de nossa finitude, 
mais precisamos 
de testemunhas que digam:
Ele é assim e isso 
é o que tem a oferecer.
Manter a gente 
vivo sempre...
é atenção,
se
é,
precisa
cuidado com ela.