Rebel: Imagens, palavras..minha essência... um amigo da natureza

Rebel

LOOKING IN WINDOW


R.E.B.E.L - Most View- - Week- Top Ten

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Ao tempo foi entregue.

Esse pequeno ser
que vive na minha 
alma humilde
e  sem ilusão maiores, 
se defronta com um
mundo consumista...
quem pensa que tudo na  vida é
isso,
engana-se,
algo que nos levará
ao inexorável fim.
Mas
há  simplicidade,
há humildade
há de ser pequeno,
para ser grande
na jornada da manhã,
Há  um ser 
que olha de longe..
as mazelas do
mundo moderno,
do consumo, 
como um furacão
nos assola. 
Tatuado na minha alma
há  estes atributos 
e
isso me deixa mais
esperançoso,
num o mundo que
se acha demais, 
só é mortal,
todos...
até
quando o destino comum
bate as portas, 
e como quando no vento,
a folha de outono
que tem um chega. 
um fim..
foi seu tempo,
é varrida
o tempo a estação lhe 
impôs um fim,
nada mais além do outono,
levando ao vento 
e ao frio  

voando seu fim, 
por ai,
Só um  vinho descendo 
na garganta
preenche meus dias de solidão
e
previne a tempestade
que depois as vezes 
me toma na insônia
minhas horas da noite
tem sido assim...
um vinho para aliviar
as tempestades
e a insônia
Todas as manhãs,
talvez não saiba
mais os fantasma que vivi a noite
ou é amnesia que toma
a pensamentos
que na mente 
vagueiam  na noite
Neste mundo imperfeito
foi, talvez, 
um bicchierro de vinho 
sangue forte,
e um sorriso desleixado no
café da manhã,
nascimento para a alegria
de um dia cobiçado,
o olhar em frente a 
o céu  de encontrar
o meu rosto, 
na manhã
espalhando outras palavras
que estava
em seu canto da mente
do inquieto até o coração se
a bater incessante,
Uma vista do horizonte germinar
reflexões de anos,
e piscando na beira de uma estrada
dia recompõem a vida,
depois de uma noite turbulenta, 
é assim que um dia, 
encontrei minha menina mulher
Hoje, aquela senhora
que as vezes bate
na minha porta no domingo
olhando para aqueles extravios que
se estendem no quarto desarrumado
Um bom dia na verdadeira mão,
 já com sua 
rugosidade.... 
Hoje o mesmo  cara avistou o horizonte
mudou suas roupas,
sentiu  um pouco mais velho
e não através de mim
como o tempo quando os meus olhos vislumbra
hoje no meu ombro sente o tempo 
e não sentir as costas o passado
crepúsculos, dias que se foram
No  meu ombro,
meu olhar
para além
mistura de orgulho e nostalgia,
porque essa mulher
não dorme mais junto 
ao peito,
Hoje dá-me o sorriso das
profundezas da sua alma,
Hoje  eu queria, 
cheirar 
um perfume
de uma mulher
em quem..
no tempo no tempo...
não como um amigo...
mas como um ser especial...
que volta 
a meia 
me visita...
Words
Photo
Rebel.